22.4.12



És como a minha chávena de chá. Aquela que não dispenso, nunca, porque simplesmente me faz parar por um bocado, não interessa o quão rápido o (meu) mundo está a girar, e me ajuda a acalmar e a apanhar o meu fôlego, mesmo quando sufoco.
Mas há uma diferença: no final, quando o chá acaba ou fica frio, eu continuo a ter-te ali. Nos meus braços ou simplesmente ali, do meu lado. Sempre. Fisicamente ou não.
Somos somente um, mesmo quando tudo esfriou e o fim pareceu chegar. Aí, nessas alturas, apenas nós continuamos de pé porque só nós fazemos sentido no meu mundo.
Amo-te tanto!

2 comentários:

nicolemorais disse...

gostei*

Pedacinhos de mim disse...

Gostei bastante deste teu cantinho, destes teus textos repletos de sentimento. Vou seguir. Um Beijo :)*