8.1.12

Por favor, encontra-me.


Tenho medo.
Nunca fui rapariga de muitas indecisões e de muitos medos. Sempre tive momentos de inspiração que me levavam a fazer tudo o que queria, sendo o certo ou o errado. Era o que eu queria e, nesses tais momentos, isso chegava-me.
Mas desde que te conheci que tenho medo. E esse medo aumenta de dia para dia.
Tenho medo de te magoar, de te perder. Passo os dias assim; com medo que as minhas inspirações te magoem e te façam quer ir embora, para longe desta "coisa" que há entre nós.
Sei que devia saber que essa tal "coisa" é suficiente para te manter perto de mim. Esta "coisa" é a relação mais emocional, física, divertida que alguma vez vou experimentar em toda a minha vida.
Mas o sentimento que sinto por ti é tão forte que, sempre que penso que te magoei e que te posso perder, sinto-me paralisada. É como se não conseguisse andar, falar, pensar ou respirar.
És tudo o que tenho e, sempre que sinto que deito fora um pouco mais de ti, de nós, fico paralisada, olhando o vazio, na esperança de encontrar a solução que os teus olhos me deviam dizer.
E, então, fico à espera que me encontres, no meio da multidão que grita dentro da minha cabeça, no meio da confusão de sentimentos que não consigo controlar.
Porque, sem ti, irei continuar presa na escuridão da minha mente. Sem ti, não sei onde estou, não sei quem sou realmente.
Por isso, procura-me e, por favor, encontra-me.

1 comentário:

nicolemorais disse...

ele encontrar-te-á. vocês estão um para o outro. não há nada que vos vá separar.