14.1.12

I really have to stop feeding my paranoia.


A minha cabeça está uma confusão. Assim como o meu coração.
Já não sei que fazer mais. Sinto-me à deriva num mar que deveria ser de rosas. Quem é que eu quero enganar? A culpa disto tudo é do meu próprio orgulho. Orgulho esse que não consigo controlar porque, no fundo, se não fosse ele eu estaria bem mais atrofiada do que aquilo que estou hoje.
A vida nestas andanças nunca foi fácil para mim: as pessoas aproximam-se de mim, eu confio nelas, baixo as defesas e depois saio magoada. Saio sempre magoada. Simplesmente porque deixo essas pessoas derrubarem as minhas barreiras e entrarem no meu mundo, no meu coração.
Mas, contigo, foi ainda mais intenso. Deixei-te entrar, confiei em ti, criei, na minha cabeça, cenários de uma longa e feliz vida em conjunto.. Dei-te tudo o que tinha e ainda fui arranjar mais para te dar. Agora, hoje, sou completamente tua, física e emocionalmente. O que quero dizer com isto é que as minhas barreiras são agora inexistentes. E, por cada erro cometido, o meu coração ganha mais uma cicatriz e a minha alma ganha um tom mais turvo, mais negro.
A nossa vida em conjunto teria de ser feita sem barreiras. Mas, sem barreiras, eu vou acabar sempre magoada com alguma coisa, simplesmente porque queria que tudo fosse espontâneo. Percebes agora o complicado que isto é na minha cabeça?! Eu preciso de ter as minhas barreiras e, principalmente, preciso que as entendas e que as respeites. Preciso que queiras entender a minha sombria maneira de ser porque, afinal, eu não sou apenas a tua namorada. Sou muito mais do que isso, e a cada dia que passa deveria ser mais. No entanto, sinto-nos ancorados em mar alto, a baloiçar ao sabor das ondas violentas.
As ancoras da nossa vida não nos deviam puxar assim tão para baixo...

3 comentários:

nicolemorais disse...

as âncoras puxam-vos de tal modo que vocês só podem suportar a dor e, juntos, subirem tudo até à superfície, juntos.

nicolemorais disse...

sabê-lo deixa-me realmente de coração cheio, meu amor. Já estava na altura, não é verdade? Quando esse dia chegar, descansa, amor, eu levo-te comigo. Mas sabes uma coisa? só levo no coração, no pensamento e na alma. eu não quero que conheças essa imensidão tão escura. quero que só conheças as cores do arco-íris. e quero que, quando eu voltar, me mostres a nova cor que inventaste. uma que demonstre exatamente como é o nosso amor. Obrigada por estares sempre comigo, meu poço de orgulho! Amo-te <3

Little Miss Luna disse...

Oh, muito, muito obrigada!
Nem sabes o bem que as tuas palavras me fizeram, querida.
E vais ver que o peso que vos puxa para baixo é apenas a insegurança, o amor tão grande, que até dói, e que se tem tanto, mas tanto medo de perder. Vais ver que juntos, conseguirão subir novamente à superfície.