4.1.12

Possuída pelas emoções.

Só precisava de alguém que me limpasse as lágrimas. De alguém que, no meio de toda a multidão, ouvisse os meus soluções incessantes pedindo socorro. De alguém que me desse a mão e que me abraçasse, para que nunca mais me pudesse perder novamente.
Só precisava de ouvir que tudo vai ficar bem. Fosse, ou não, isso verdade.
Como a solidão e a fraqueza se apoderaram de mim, recorro às minhas fiéis folhas de papel. Dou um pulo da cama, onde chorava encostada à parede, na solidão fria do meu quarto, e procuro o meu caderno junto à secretária.
Encontro-o, no meio de memórias rabiscadas e de folhas amachucadas, e dou graças a Deus por ter o dom e a inspiração de pôr em palavras todas as tristezas que tenho escondidas na alma e no coração.
Enquanto escrevo, as lágrimas secam e os soluços passam. O meu ritmo cardíaco acalma e páro de me baloiçar, como que para tentar afastar a tristeza. A raiva passa e, no lugar do rubor que esta me proporciona, vem o frio. Frio esse de quem parou de se debater e aceitou a tristeza. Ou de quem não tem mais saídas possíveis. De quem dilacerou o peito e sente-se, agora, vazia.
Já estou deitada. Tremo de frio mas, simultaneamente, não permito ao meu corpo mover propositadamente um único músculo. Quero ficar quieta e adormecer sobre toda a tristeza, toda a dor, toda a raiva, todo o arrependimento, todo o vazio. Quero adormecer sobre a tua ausência para que o frio não me possa possuir por completo uma vez mais.

1 comentário:

nicolemorais disse...

meu amor, então? ânimo! nunca estás sozinha, e oh, quem me dera a mim ter o poder de te abraçar sempre, mas SEMPRE que precisasses :/ amo-te muito, e eu estou contigo. também posso ser uma folha de papel tua, podes dizer-me tudo <3