22.1.12


Andamos num rodopio de tentativas fracassadas, onde tu tentas apanhar-me no turbilhão de emoções que é a minha mente e eu te escapo por entre os dedos.
A cada fracasso, mais uma cicatriz, mais um pedaço do coração que se parte, mais um pedaço de alma que escurece.
Eu sei o que quero, ou melhor, quem quero, e sempre clamei aos quatro ventos que sabia o que fazer para o conseguir. Mas, agora, depois de tanta coisa, de tantas mudanças, de tantas tentativas, eu já não sei que caminho escolher. Não consigo fazer nada. Sinto-me impotente, como se estivesse a ver outra pessoa dentro do meu corpo a tomar decisões erradas, uma e outra vez. E eu vejo e não posso impedir. Não sei como impedi-lo. Só sei que, a cada vírgula que colocamos na nossa história, é como se perdêssemos um capítulo inteiro. Pior que isso, é como se nos perdêssemos a nós próprios, à relação que temos e ao amor que sentimos. E eu sinto-me mal, cada vez pior, porque, em certa parte, sou a grande culpada de tudo isto. Porque eu sei o que tenho de mudar mas simplesmente não consigo. Não consigo porque cheguei ao meu limite. E pior, cheguei ao meu limite sem barreiras nenhumas. E, agora, cada vez que me olho ao espelho, não vejo o brilho dos meus olhos ou do meu sorriso. Tudo parece baço. É como se andasse a ver a minha vida ser vivida por outra pessoa, em câmara-lenta e a preto & branco. Esta não sou eu e isso está a prejudicar-nos. No entanto, o sentimento que sempre nutri por ti não mudou, muito pelo contrário. E, apesar de não parecer, os esforços que fiz e sempre disse que iria fazer nunca foram nem serão em vão. Porque eu estou disposta a lutar e a continuar a tentar, até as tentativas deixarem de resultar em fracassos. Mas, ao fim de tanto erro, eu sinto-me cansada e vazia. E tenho-te ao meu lado mas é como se nem te tivesse em mim porque, no fundo, tu não entendes o porquê de eu me sentir assim e de ter estas reacções. Eu sei que sofres tanto como eu, e sei que queres ser o mais compreensivo possível, e é por isso que te peço: volta a ser o meu príncipe encantado. Volta a querer entender-me. Volta a fazer-me sentir que nos pertencemos e que temos um belo futuro pela frente. Sê concreto, dá-me certezas. Não te peço mais nada. E nem é por mim; eu aguento o melhor que posso, sem me queixar. É por ti também. É por nós. Por tudo aquilo que prometemos.

[ música em replay: she's like the wind ]

6 comentários:

nicolemorais disse...

oh meu amor, devias mostrar-lhe este texto. eu acredito que vocês ainda vão conseguir lutar com mais garra por este amor que vos une <3

nicolemorais disse...

sim, deveria ver.
mas és uma leozinha que nunca perde as suas origens!
não me agradeças, eu amo-te muito (L)
adorei, mesmo! fizeste bem, as coisas assim fluem mais facilmente.

elise disse...

está tão lindo!

nicolemorais disse...

só me fizeste ter a certeza de que te amo e com tantas razões mas sem nenhuma ao mesmo tempo. tu és simplesmente.. oh, fantástica, amor, fantástica! obrigada por todas essas palavras que, sabes, me dizem muito! amo-te com todo o meu coração! e prometo não partir cedo :b

nicolemorais disse...

and i like you ^-^

Marina Torres disse...

Obrigada pela força querida!!! Eu vou ver o que posso fazer ;) <3